Oficina práctica de cinema

– O TERCEIRO OLHAR –

Com Amauri Tangará

28 Julho a 1 de Agosto | CCS

Por Amauri Tangará Diretor de teatro e cineasta; formador de oficinas práticas de cinema.


1. O CINEMA NA HISTÓRIA
2. OS ELEMENTOS DO CINEMA
3. O DIRETOR – O PODER DE CRIAR UMA LINGUAGEM PRÓPRIA
4. O CINEMA DE BAIXO ORÇAMENTO
5. INSTRUMENTO DE PROTESTO
6. O CINEMA PARA CONTAR UMA HISTÓRIA
Duração 5 dias: de 28 julho a 1 de agosto de 2014
Horário: de segunda a sexta-feira, das 9-13h e 14-18h
Destinatários: a partir dos 12 anos
Inscrições até dia 21 de Julho
Apoios: Instituto Politécnico de Santarém
Obs. A org. reserva-se o direito de cancelar o Curso citado, caso não se preencha o mínimo de 30 participantes
INFORMAÇÕES através do telefone 243321150 (14-20h, dias úteis) ou na sede no mesmo horário.

“Uma câmara na mão e uma idéia na cabeça”, como dizia o cineasta brasileiro Glauber Rocha, são muitas vezes motivos suficientes para iniciar. A arte das imagens em movimento tem provado ser uma prática fundamental para as comunidades que têm em mente o registo das suas manifestações culturais. Uma comunidade que desenvolve suas potencialidades através do cinema, expõe ao mundo todos os aspetos culturais, sociais, económicos e comportamentais de sua época, divulga e perpetua suas formas de relacionamento, amplia ou destaca a visão sobre alguns factos, desenvolve olhares vários sobre acontecimentos, analisa questões de interesse comum ou simplesmente incita a reflexão sobre temas atuais.
O cineasta Amauri Tangará propõe com esta ação de formação, a possibilidade de abertura de novas perspectivas profissionais, a análise de diferenciados olhares sobre fatos comuns, o desafio da experimentação de novas linguagens para empreender este mergulho audiovisual.
Orientará a captação de imagens, com a finalidade de criar um filme que documente e perpetue algum assunto importante para a comunidade ou simplesmente uma história local, apresentando toda a força de um produto cultural que, certamente, representará uma importante ação estratégica para que, principalmente os jovens, reflitam sobre seu papel nesta sociedade, bem como compreendam a sua raiz cultural através das imagens em movimento.
O produto final da oficina prática de cinema, o filme realizado pela turma, será apresentado para a Comunidade no último dia, em cerimónia de entrega dos certificados de participação.
Longas metragens: A OITAVA COR DO ARCO-IRIS e AO SUL DE SETEMBRO
Média metragem: POBRE É QUEM NÃO TEM JIPE
Curtas metragens: A VELHA, OS MENINOS E O GATO QUE ESCAPARAM DA ESTRANHA CAIXA
AZUL, HORIZONTEM, PARAIZOO, AO RELENTO, DEBAIXO DAS OLIVEIRAS, DO OUTRO LADO UM MURO DIVIDE PRAGA, TIMOR UMA VIAGEM e GUAPORÉ – CAMINHO DO DIVINO
Vídeos: CARLOS REINERS – O ÚLTIMO COMUNISTA CONVICTO DO PANTANAL, QUILOMBO MATA-CAVALO e VIOLA DE CÔCHO.