60.º Aniversário da Orquestra Típica Scalabitana

17 de Março na Casa do Campino

O Jantar Comemorativo do 60.º aniversário da Orquestra Típica Scalabitana decorreu com grande animação, no passado dia 17 de Março, na Casa do Campino, em Santarém.
Com sessenta anos de actividade permanente e ininterrupta, a Orquestra Típica Scalabitana foi uma herança do Orfeão Scalabitano, ao qual aderiu em Março de 1947. Em 1954 integrou o Círculo Cultural Scalabitano, aquando da fusão do Orfeão e do Clube Literário Guilherme de Azevedo. Persistiu durante estas seis décadas, ultrapassando fases da maior dificuldade. O Círculo Cultural Scalabitano honra-se de poder integrar no seu seio uma tão nobre secção, mantendo esta Orquestra em elevadíssimo estado de competência e qualidade que nos é garantido pelo seu actual maestro, Jorge Costa Pinto, reconhecido pela sua proficiência artística e, ainda, a disciplina e o rigor necessários à qualidade que se quer atingir.
Honraram com a sua presença esta festividade, não só toda a direcção do Círculo Cultural Scalabitano, o presidente, Joaquim Castanho, o vice-presidente, João Ventura, Arnaldo Vasques, Luísa Barbosa, elementos do Coro, do Veto Teatro Oficina, da Mesa da assembleia geral, como também as entidades oficiais, Paulo Fonseca, Governador Civil do Distrito de Santarém, Francisco Moita Flores, presidente da Câmara Municipal de Santarém, Carlos Abreu, presidente da Região de Turismo do Ribatejo, Carlos Marçal, presidente da Junta de Freguesia de Marvila, entre outros. O jantar foi servido pela Escola de Hotelaria e Turismo de Santarém e contou com cerca de cento e cinquenta pessoas que quiseram assim confraternizar, comungando com o espírito de amizade que os une a esta Orquestra com tão longas tradições.
O programa incluiu a apresentação de canções por antigos solistas da Orquestra Típica como Dilma Melo, Manuel Carvalho e outros actuais como Manuel Branco e Marília Picoto, Tininha. José Luís Nazareth Barbosa declamou dois poemas, entre eles a Ode ao Ribatejo. Seguiu-se um animado baile, com música por Figueira Padeiro que entrou pela madrugada dentro.