Orquestra Típica Scalabitana

A Orquestra Típica Scalabitana formou-se em 1946, mas foi em Março de 1947 que se integrou no Orfeão Scalabitano, como uma das suas secções. O maestro António Gavino, jovem músico amador e autodidata, de 23 anos de idade, portador de um filão criador inexplorado até então, foi o seu fundador. Criador da famosa “Marcha Ribatejana”, António Gavino imprimiu à orquestra o seu cunho pessoal, a filosofia de um estilo, tendo conseguido a continuidade da música popular e regional do Ribatejo. Em 1996, a Câmara Municipal de Santarém atribui-lhe a Medalha de Ouro da Cidade, no seu 50.º aniversário.

Hoje, a Orquestra Típica Scalabitana é constituída por orquestra e coro misto; tem cerca de quarenta elementos, com idades compreendidas entre os 12 e os 65 anos. Os elementos da orquestra estão distribuídos pelos seguintes instrumentos: bandolins (6), flautas (2), flautim (1), acordeões (2), violas (3), violões (2), e bateria (1). Todos se apresentam em público com trajes típicos do Ribatejo desde 1948.

Realizou concertos em todo o território português, incluindo a Região Autónoma da Madeira e, internacionalmente, actuou em diversos festivais de música em Espanha, França, Bélgica, Alemanha e Macau.

Em 1997/98, iniciou uma actividade didáctica com ateliers de Bandolim, Viola e Coro Infantil, com o objectivo de facilitar o acesso aos instrumentos e o gosto pelo canto, numa tentativa de garantir a continuidade da Orquestra.

Maestros da OTS:

 

  • 1946 / 1952 – António Gavino
  • 1953 / 1957 – Casimiro Silva
  • 1958 / 1965 – Joaquim Luís Gomes
  • 1966 – David Costa e Silva
  • 1967 / 1974 – Casimiro Silva
  • 1975 – Victor Bonjour
  • 1976 / 1997 – António Gavino
  • 1998 / 2009 – Jorge Costa Pinto
  • 2009 / 2016 – João Pinote
  • 2017 – Abílio Figueiredo