Arquivo de Estudos

Mário Viegas

  • Excerto da Conferência a Irreverente Geração de Sessenta, no CCS 5.12.2014
  • Mesmo que não apreciem o estilo próprio de Mário Viegas... ou não o compreendam ainda..., continua a ser o maior declamador português, um grande nome do teatro, do cinema...talvez só equiparado ao Taborda. Tive o privilégio de o conhecer e de o ouvir ao vivo tantas vezes quantas as que se apresentou em Santarém a partir de 1972. Lembro-me de uma apresentação/declamação de poesia acompanhada de piano (com Olga Pratts? Quem se lembra?) no hall do 1º Balcão do saudoso Teatro Rosa Damasceno, em Santarém !

    Mário Viegas pisou pela primeira vez o palco, no Teatro Taborda, no Círculo Cultural Scalabitano, no dia 23 de dezembro de 1962, para representar o anjo Gabriel na peça Auto Infantil de Natal, de António Couto Viana, dirigido artisticamente por Carlos Mendes, que estudou no Curso de Arte de Dizer na mesma instituição - Círculo Cultural Scalabitano - com o Professor do Conservatório Nacional Carlos de Sousa. Na sua Auto-Photo Biografia (não autorizada) regista o sonho que tinha em pisar o palco do Teatro Taborda, em Santarém, que tinha o nome de um dos grandes amigos do seu bisavô Ator Leoni. Até 1967 continuou a participar como ator nas peças encenadas por Florindo Custódio que, tendo igualmente aprendido com Carlos de Sousa, substituiu, com modernidade e muita coragem, os anteriores diretores artísticos do Círculo Cultural Scalabitano.
    Excerto da Conferência a Irreverente Geração de Sessenta, no Circulo Cultural Scalabitano, proferida por Luísa Barbosa no dia 5 de dezembro de 2014, por ocasião dos 50 anos do Bar 4, na Casa do Brasil.
    [Luísa Barbosa]
    Texto integral.

    O “POEMA” E O “ACTO”

  • A Herberto Helder (n.30 novembro de 1930; m. 23 março 2015)
  • Em Santarém, uma terra onde "não havia literatura", segundo afirmou na carta que escreveu a 5 de junho de 1962, a Sophia de Mello Breyner Andresen, Herberto Helder desenvolveu afinal o seu gosto pela literatura. Assim, apesar da crítica à cidade, aqui encontrou um importante conjunto de pessoas e de ligações a Lisboa e ao meio intelectual. Nas tertúlias musicais e literárias realizadas em casa de Joel Canhão (maestro do Orfeão Scalabitano, do Coro Alfredo Keil, do Coral Infantil Scalabitano e responsável pela Educação Musical para Crianças, desenvolvido a partir de 1961, segundo o método de Edgar Williems, no Círculo Cultural Scalabitano, cujo patrocínio da fundação Gulbenkian permitiu a aprendizagem gratuita da música aos filhos dos sócios), encontravam-se também Herberto Helder, Luiz Pacheco, Ruy Belo e António José Forte, nomes que se afirmaram em Portugal e vieram a desempenhar um papel essencial na literatura portuguesa do século XX.
    [Luísa Barbosa]
    Texto integral.

    “Santarém Antiga” Postais e Imagens de Santarém, colaboração do Dr. Joaquim Martinho da Silva

  • Alocução por Luísa Teixeira Barbosa - Historiadora e Directora do CCS(pdf) 17.05.2014
  • Caros sócios e amigos!
    É uma enorme honra para o Círculo Cultural Scalabitano poder contar hoje com a presença e colaboração do Dr. Joaquim Martinho da Silva que nos quis brindar com uma exposição de postais e imagens de Santarém Antiga, vinda propositadamente do seu valioso espólio e sabedoria.
    A exposição estará patente durante 4 semanas e cada uma destas será dedicada a um espaço da nossa cidade. Começámos com Marvila porque aqui se estabeleceu a sede da nossa associação e porque aqui exercemos a nossa atividade cultural desde há 60 anos, com o nome de Círculo Cultural Scalabitano. Na próxima semana teremos Portas do Sol e Bairros Ribeirinhos e as 3ª e 4ª semanas serão dedicadas ao tema Vila e Fora de Vila.
    PERMITAM-NOS falar agora, brevemente, da longa vida do Dr. Joaquim Martinho da Silva, não só pelo número de anos que tem, como também pela intensidade com que a tem vivido.

    [Luísa Barbosa]
    Fotos da exposição

    O Círculo Cultural Scalabitano e a comemoração do 25 de Abril - I - Uma homenagem ao Capitão Salgueiro Maia e ao MFA

  • Por Luísa Teixeira Barbosa - Historiadora e Directora do CCS(pdf) 17.05.2014
  • O Círculo Cultural promoveu, no passado dia 17 de maio, no seu auditório, uma singela homenagem ao Capitão Salgueiro Maia e ao Movimento das Forças Armadas, aproveitando o momento das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, cuja cerimónia ficou registada para memória futura, em áudio, vídeo e fotografia, numa prestimosa colaboração e apoio do Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão. A mesa engalanada por um vistoso arranjo de cravos, foi presidida pelo presidente do Círculo Cultural Scalabitano, Eliseu Raimundo e contou com os convidados Zeferino Silva, sócio do Círculo, vizinho, amigo e grande admirador de Salgueiro Maia, os coronéis Garcia Correia e Correia Bernardo que em conjunto com Salgueiro Maia e outros heróis do 25 de Abril, planearam e organizaram a Revolução dos Cravos e, também, Natércia Maia, a viúva do Capitão Salgueiro Maia que, como ele, tem o dom da humildade e da simplicidade, certamente as qualidades necessárias e fundamentais que acompanharam, nas alegrias, nas tristezas o seu marido e que num silêncio ativo, porque em silêncio também sofreu e aguardou… o homem que pelo seu grande valor e coragem foi escolhido pelos seus companheiros para chefiar a coluna militar que, partindo da Escola Prática de Cavalaria de Santarém para Lisboa, deu a vitória à liberdade e à democracia.
    [Luísa Barbosa]
    Colecção de Postais
    Fotos do evento.

    “A FESTA no Círculo Cultural”

  • encerra o Curso Intensivo de Cinema “O Terceiro Olhar” Por Luísa Teixeira Barbosa - Historiadora e Directora do CCS(pdf)
  • O encerramento do Curso Intensivo de Cinema promovido pelo Círculo Cultural Scalabitano e orientado pelo cineasta Amauri Tangará e pela produtora Táti Mendes do CIA D´Artes de Mato Grosso (Brasil), decorreu com muita expectativa e retumbante sucesso, no passado dia 1 de agosto, às 21.30h, no Teatro Taborda. Estiveram presentes, além dos participantes, os seus familiares e amigos que aplaudiram energicamente, quer no decurso da entrega de diplomas quer no final, após a apresentação do filme, produto colectivo dos participantes, a curta metragem, com cerca de 13 minutos, “ A Festa”.
    O bom resultado desta primeira produção cinematográfica do Círculo Cultural Scalabitano espantará alguns pela facilidade e envolvimento que todos demonstraram. Texto completo
    Este produto está já disponível na internet.
    Publicado no Correio do Ribatejo

    O Círculo Cultural Scalabitano e a comemoração do 25 de Abril

    O Círculo Cultural promoveu, no passado dia 17 de maio, no seu auditório, uma singela homenagem ao Capitão Salgueiro Maia e ao Movimento das Forças Armadas, aproveitando o momento das comemorações dos 40 anos do 25 de Abril, cuja cerimónia ficou registada para memória futura, em áudio, vídeo e fotografia, numa prestimosa colaboração e apoio do Centro de Investigação Professor Doutor Veríssimo Serrão.
    Texto completo

    A Consagração e a aprovação dos Estatutos

    Entre 1955 e 1959, viveram-se no Círculo Cultural Scalabitano momentos de entusiasmo e grande afirmação cultural. Ora, a primeira direcção eleita a 29 de Dezembro, tomou posse no dia 3 de Janeiro de 1955 , data da sua primeira reunião.
    A Consagração
    A consagração do Círculo Cultural iniciou-se com o anterior prestígio alcançado pelo Grémio Literário Guilherme de Azevedo, bem como pelo reconhecimento nacional do Orfeão Scalabitano, do qual herdou o grau de comendador da Ordem de Benemerência , atribuída em 1932.
    No entanto, ganhou de imediato merecimento próprio quando, a enorme actividade organizada pelas diferentes secções, encontrou junto dos escalabitanos, das instituições oficiais e privadas e da administração local e central, o apoio e o patrocínio que lhes permitiu expandir o seu nome por todo o país, sendo as suas secções bastante vezes requisitadas para aureolar diversas festividades e comemorações.

    Publicado no Correio do Ribatejo Site Externo. no dia 30/12/2011
    Texto completo e aberto a comentários no BLOG do C.C.S.

    A fundação e composição social

    O ano de 1954 apresentou-se auspicioso para a cidade de Santarém e para o concelho, tendo ficado marcado pela construção de importantes obras públicas como a inauguração do Tribunal de Santarém, o início dos arranjos do Campo Sá da Bandeira e, conta-se ainda, como uma importante expressão do crescimento económico do distrito a criação da Feira do Ribatejo e a constituição do Círculo Cultural que resultou da fusão do Orfeão escalabitano e do Clube Literário Guilherme de Azevedo.

    Publicado no Correio do Ribatejo Site Externo. no dia 9/12/2011
    Texto completo e aberto a comentários no BLOG do C.C.S.

    1954-1974 A Situação e a Oposição no Círculo Cultural Scalabitano

    O Círculo Cultural festeja agora o seu 57º aniversário e, durante os 20 anos a que se referem os próximos artigos relativos à história da sua acção.
    Esta associação deteve uma enorme presença e influência no panorama social e cultural da Cidade e também do país, à época sob o governo ditatorial e totalitário de Salazar. Este sucesso, num regime político que perseguia e dificultava a vida associativa de tradições democráticas, deveu-se essencialmente a um compromisso entre aqueles que na direcção, ou nas suas secções, representavam a Situação e aqueles que se manifestavam como Oposição ao regime que então se vivia.
    [Luísa Barbosa]

    Publicado no Correio do Ribatejo Site Externo. em 25/11/11
    Texto disponível a comentários no BLOG do C.C.S.

    Associativismo II do Modelo à Acção

    No último número iniciei neste espaço uma reflexão sobre as Associações Culturais e um modelo de acção para o seu funcionamento. Terminei enunciando algumas preocupações directamente ligadas ao seu funcionamento e, mais importante, à postura que considero deve ser aquela que deverão privilegiar, tendo terminado o artigo anterior numa referência ao papel a desempenhar pelos voluntários na organização.
    Hoje em dia esse papel é cada vez mais reconhecido e também cada vez mais procurado a diversos níveis e áreas da intervenção na comunidade. Assim acontece nas organizações de economia social, assim acontece no desporto, assim acontece cada vez mais nas instituições da “economia cultural”, se se me permite a expressão.

    Publicado no Correio do Ribatejo Site Externo. em 18/11/11
    Texto completo e aberto a comentários no BLOG do C.C.S.

    Associativismo Reflexões em Torno de Um Modelo

    Segundo Michael Kraiser, reflectindo sobre as questões de cultura e de gestão cultural numa conferência em Setembro de 2010 no CCB, as Associações Culturais e os Agentes Artísticos, de um modo geral, têm um problema de receitas, não um problema de custos. O normal é conseguirem fazer muitas coisas com poucos recursos, reconhecendo que o que ainda não sabemos é como criar receitas e precisamos de fazê-lo de maneira consistente.

    Publicado no Correio do Ribatejo Site Externo. em 3/11/11
    Aberto a comentários no Blog do CCS clique aqui para aceder.

    A História do CCS - Cidadania e Cultura -

    A História do CCS - Cidadania e Cultura -, é um trabalho de investigação histórica original e inédito, cujas fontes são os documentos de Arquivo Histórico desta associação, que se encontra em finalização, de forma a poder ser publicado.
    Este trabalho iniciou-se quando se comemoraram os 50 anos desta instituição e a autora, Luísa Barbosa, tem prosseguido este grande trabalho de fundo, bem como tem aprofundado a sua história e a das associações que lhe deram origem em 1954 (O Grémio Literário Guilherme de Azevedo, de 1905 e o Orfeão Scalabitano, de 1925). Contou, ainda, com a colaboração de muitos amigos e sócios do CCS, entre eles João Gomes Moreira, Florindo Custódio, Joaquim Martinho da Silva, Joaquim Vale Cruz, bem como Teresa Lopes que apresentou, nesse ano de 2004, a convite da Direcção, um trabalho sobre Manuel Ginestal Machado, a quem agradecemos.

    Os Saraus do Círculo Cultural Scalabitano

    Apresentada pelo presidente da direcção no Sarau do CCS realizado no TSB em 16/12/07

    Biblioteca Guilherme de Azevedo

    Publicado no Correio do Ribatejo em 20/07/07

    “A Formação do Gosto pelo Cinema em Santarém, 1895-1959.“

    Publicado no Correio do Ribatejo em 1/06/07

    “Santos e Pescadores - Santarém entre o Mito e a História“

    “Evocação do Centenário do Grémio Literário Guilherme de Azevedo - A Construção do Edifício Republicano“

     

     

     

     

    top